Vício em comida, como controlá-la?

Todos os seres vivos, precisamos de comida para viver e funcionar adequadamente; mas o Que acontece quando o alimento se converte em um mal necessário, um monstro que nos persegue como uma sombra.


Nos últimos anos, tem-se encontrado uma relação muito direta entre as emoções e a comida (principalmente entre os açúcares processados e os hidratos de carbono), dando pé para uma nova linha de tratamentos da obesidade, dirigidos principalmente às emoções do paciente. Por isso que agora sabemos que querer não é suficiente para emagrecer, já que, enquanto nos vejamos gordos e/ou obesos, continuaremos a comer como gordo ou obeso, dando, como resultado, os famosos rebotes.


Existem fatores que podem fazer com que qualquer elemento ou coisa se tornem um vício para os seres humanos, os quais vão sobreponiendo um sobre o outro e são os seguintes:

O Fator biológico

Em primeiro lugar, devemos compreender que, no momento de nossa gestação, também se dá o nascimento de nosso temperamento que se rege sob a dor e o prazer.


E é assim como a comida como o sexo, são duas das cinco comportamentos primárias de duplo reforço que mais nos causam prazer. Por um lado, que não tira o sofrimento físico que é a fome, e, por outro, nos dá prazer, com o hormônio chamado grelina, que ativa os neurotransmissores dopaminérgicos, tornando praticamente impossível não comer.

O Fator bioquímico

A maioria das refeições rápidas contêm uma alta porcentagem do glutamato monossódico, que é o responsável de que não podemos comer só batata frita mas que continuamos comendo, ativando uma e outra vez os hormônios do prazer. É dizer, em si comer nos provoca prazer e nos tira a dor, e se nós aumentamos mais prazer com fatores Bioquímicos estaremos comendo praticamente todo o dia.

O Fator psicológico

Como todos os vícios, tem como base a ansiedade, sendo esta a que atire a necessidade de busca de prazer para tirar a dor ou a alteração do sistema nervoso central que nos provoca a ansiedade. A ansiedade tem como base a angústia que, por sua vez, tem como antecessor o estresse, que não é outra coisa mais do que o não se sentir bem com o que temos.


O Fator emocional social

O problema se agrava quando adicionamos um fator emocional com a comida, onde não só nos alimenta e nos nutre, mas também a comida tem um valor sentimental, como o de comer em família, comer em festas e comemorações, ou comer nas reuniões, embora seja fritangas, biscoitos ou bolos, avó, etc., Que se lhe damos um extra que é que eu não gosto do meu peso, porque está não é aceito socialmente, me levasse a ansiedade, tornando-se assim um círculo vicioso.


O QUE FAZER PARA ROMPER COM O CÍRCULO VICIANTE

Primeiro deve-se identificar que tipo de fome é que eu tenho:


Fome física



  • É natural entre 3 e 4 horas

  • Se sente no estômago

  • Atende a uma necessidade física

  • Não depende do estado de ânimo

  • É gradual

  • É clara

  • Você precisa: comida nutritiva

Fome emocional



  • Sente-Se na boca, garganta ou boca do estômago

  • Acompanhada de ansiedade e/ou culpa ou raiva

  • Não precisa de comida

  • Não é clara

  • É de repente

  • É para remover a ansiedade

A fome psicológica



  • Gerada pelos pensamentos e crenças: “Só a comida me dá felicidade”, “Se eu controlo o que como, eu controlo a minha vida”

  • A mente “cria” desejos

  • O porque sebe rico

  • Conectar lugares ou refeições com ideias “eu Não posso ir de lugar sem provar as cheinhas”

Segundo, ter hábitos para comer:



  • Comer em um lugar tranquilo que não gere estresse e sempre à mesma hora. Tente não comer parado

  • Se você não tem uma idéia clara do que você quer comer, pergunte a si mesmo: eu Quero uma coisa… o Frio, quente, ., mole, salgado, doce?

  • Antes de começar a comer detém-se por um período de um minuto para medir a quantidade de comida que você vai comer enquanto toma água, e mede das pequenas porções

  • Mastiga muitas vezes

  • Solta os talheres entre os bocados

  • Aproveite o que você come

  • Come até ficar satisfeito

  • Para ouvir o sinal de satisfação, é importante ter ouvido o sinal de fome física

  • É importante que você saiba que se você já não quer o que você está comendo, você pode comê-lo quando voltar a ter fome física

  • Não se amenaces com não voltar a comer até o outro dia

  • Comer com atenção, pois o sinal de satisfação pode ocorrer em qualquer momento

  • Servir pouco e se você quiser mais deve obter este documento junto ou sírvetelo.

  • Come para estar satisfeito, não é para estar cheio (Sempre tem que ter um espaço no seu estômago)

Você gostou desta nota? Califícala

1 Estrela2 Stars3 Stars4 Estrelas5 Stars (8 votos, média: 4.75 out of 5)
Loading…